Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Explicas-me or Not?

No outro dia, a minha querida primita deu-me uma ideia. Aliás, não deu, reavivou-se a ideia que já tivera antes.

Ora, quem a ajuda com os trabalhos de inglês, traduções, etc, sou eu. Logo, ela veio para minha casa de mochila ás costas, mas foi parada pela tia que lhe perguntou se ela andava em alguma explicadora, ao que ela respondeu que não, que era eu que a ajudava. A tia, perguntou logo quanto eu levava, para lá pôr o miúdo dela.

Ora, isto deixou-me a pensar, porque já não é a primeira vez que acontece. As pessoas dizem sempre: "olha, tu é que podias dar explicações!", "olha, com as notas que tinhas a inglês, eu deixava-te ser explicadora do meu filho!", "olha, com esse sotaque e a dominar assim o inglês, porque não pensas nisso?".

Sem pressão nenhuma, certo? hehehe.

Mas realmente, aquilo deixou-me a pensar. Até porque, tudo o que sei agora, a maioria aprendi sozinha, porque eu na escola não ligava nenhuma ás aulas de inglês, só queria saber os básicos, tudo o resto eu aprendia sozinha. Aprendi a puxar pela cabeça, a ler livros em inglês (sem qualquer tradução), a ver filmes sem legendas, a estudar a gramática á minha maneira, até a traduzir músicas, porque queria saber o que cantava e isso ajudava-me com vocabulário.

Além de tudo, eu até gosto de ensinar inglês. Acho divertido!

É, realmente, uma coisa a pensar. Ainda por cima aqui, nesta santa terrinha, onde quase todos os alunos se queixam do inglês, que lhes dá cabo dos nervos.

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Lêh 31.10.2016 13:21

    Estou mesmo a pensar seriamente em começar com isso. E, pelo que vejo, aqui há muitos alunos a queixarem-se de dificuldades nessa área, seja em termos de vocabulário, fala, etc...
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.