Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Breve apresentação de um novo trabalho

Sim, é isso mesmo, um novo trabalho. Ainda sem nome, e só a titulo experimental, aqui fica um pequeno excerto.

 

"Ele sentou-se naquela cadeira pela vigésima vez, naquele dia. Os outros, ele nem sequer sabia os seus nomes, apesar de eles os terem dito, faziam-lhe sempre as mesmas perguntas. Quem era, de onde vinha, se estava sozinho... Mas ele limitava-se a olhar o vazio e a fechar-se em copas.

Nada do que dissessem ou fizessem, o iria obrigar a falar. Ryan era um "bicho do mato", desde que tudo mudara. Aprendera a sobreviver sozinho, a contar apenas consigo... Pelo menos até encontrar o pequeno grupo a que, agora, chamava familia.

Respirou fundo, bloqueando as vozes dos homens em seu redor. Queria sair dali, pegar nas armas e voltar para "casa". De qualquer forma, eles não iriam descobrir nada, porque ele não iria falar. Podiam matá-lo, ele tinha plena consciência disso, mas nada importava. E desde que a nova era começara, por vezes ele perguntava-se se não seria melhor morrer, antes de ser comido vivo.

- Comeram-te a lingua? - Perguntou um dos homens.

Ryan olhou para ele, de expressão séria e olhar frio. Tinha bastante prática em esconder as emoções e a manter o rosto sério.

O homem sorriu.

- Tens coragem. - Passou a lingua pelos lábios. - Pensei que esse teu ar se devesse á arma que trazias contigo... e ao punhal... Mas estou a ver que não. Podes contar-me quem és? De onde vens? Ou melhor. Estás sozinho?

Nada. Ryan continuou calado e isso irritava o homem á sua frente. Este bufou e mordeu o lábio. Então, ergueu a mão e preparava-se para esmurrar Ryan, para o fazer falar, mas foi interrompido por uma voz que soou junto da porta.

- Trevor.

Trevor olhou para o lado, baixando a mão e sorriu.

- Allison. - Ronronou.

Ryan olhou pelo canto do olho, vendo uma rapariga entrar na sala. Parecia mais nova que ele, mas estava armada com um arco e um punhal espreitava pelo cano da bota.

Vestia calças de ganga rasgadas nos joelhos, sujas e vestia uma t-shrirt preta e justa. As botas, negras, chegavam-lhe a meio da perna. A aljava de flechas estava presa nas suas costas. O cabelo era negro, comprido, e os olhos tão verdes que parecia impossivel. Ela movia-se de forma furtiva, mas felina, e com uma confiança total. Parecia não termedo de Trevor, que era bem mais alto que ela.

- A que devo a honra da tua presença? - Sorriu Trevor.

Allison lançou-lhe um olhar de desprezo.

- Deves falar com as pessoas. Não matá-las. - A voz dela soou dura.

Ryan olhava agora um ponto na parede, mas sempre que podia, lançáva a Trevor e á estranha rapariga, um olhar furtivo.

- Não fiz nada, boneca. Estava só a começar a...

Allison, rápida como um felino, retirou uma flecha da aljava e, sem sequer usar o arco, e encostou a ponta no pescoço de Trevor, pressionando.

- Não. Me. Chames. Boneca.

...

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.